FAQ

Trata-se do ACORDO DE PARCERIA adotado entre Portugal e a Comissão Europeia, que reúne a atuação dos 5 Fundos Europeus Estruturais e de Investimento - FEDER, Fundo de Coesão, FSE, FEADER e FEAMP - no qual se definem os princípios de programação que consagram a política de desenvolvimento económico, social e territorial para promover, em Portugal, entre 2014 e 2020.

Portugal 2020 é a designação atribuída pelo Governo de Portugal ao Acordo de Parceria 2014-2020, formalmente apresentado à Comissão Europeia, no dia 31 de janeiro de 2014. Apresenta a estratégia de Portugal para a aplicação dos Fundos da União Europeia no período 2014-2020, em forte sintonia com as prioridades enunciadas no Plano Nacional de Reformas (PNR) e na Estratégia Europa 2020.

Fonte: https://www.portugal2020.pt/Portal2020/o-que-e-o-portugal2020

Regiões menos desenvolvidas (PIB per capita < 75% média UE): Norte, Centro, Alentejo e Açores (Taxa máxima de cofinanciamento dos Fundos: 85%).
•Regiões em transição (PIB per capita entre 75% e 90%): Algarve (Taxa máxima de cofinanciamento dos Fundos: 80%).
•Regiões mais desenvolvidas (PIB per capita > 90%): Lisboa (Taxa máxima de cofinanciamento dos Fundos: 50%) e Madeira (Taxa máxima de cofinanciamento dos Fundos: 85%, por ser uma região ultraperiférica).

Fonte: https://www.portugal2020.pt/Portal2020/FAQs-Tema1#5

A programação e implementação do Portugal 2020 organizam-se em quatro domínios temáticos:
- Competitividade e Internacionalização;
- Inclusão Social e Emprego;
- Capital Humano;
- Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.
Considera, ainda, os domínios transversais relativos à reforma da Administração Pública e à territorialização das intervenções.

No seu significado mais comum, empreendedorismo passa pela identificação de oportunidades e a sua transformação em negócios. Contudo, mais do que a criação de um negócio o empreendedorismo é uma postura e posicionamento perante a vida. É querer fazer diferente, ser disruptivo, procurar uma melhoria constante.

Várias são as características apontadas para definir um empreendedor. Contudo, entre as mais consensuais estão as seguintes:
- Ambicioso
- Atento
- Automotivado
- Com aptidão para a aceitação do risco
- Com espírito de iniciativa
- Com visão de mercado
- Criativo
- Determinado
- Flexível
- Persistente
- Responsável

- Sentindo uma necessidade sua;
- Sentindo a necessidade dos outros devendo, para tal, estar atento às queixas que ouve por parte de quem o rodeia;
- Perguntando o que lhe desperta paixão e recordando os hobbies atuais ou da infância;
- Perguntando o que faz bem analisando as capacidades e o conhecimento que possui;
- Estando atento a mudanças de padrão do consumidor e hábitos de consumo das pessoas;
- Observando as novas tecnologias/técnicas;
- Fazendo combinações improváveis de diferentes ideias usando inputs de fontes diversas;
O processo deverá passar sempre pelas mesmas fases. Primeiro identifique uma necessidade ou problema, de seguida perceba se este afeta um número significativo de pessoas e pense em soluções criativas para o mesmo. Por último, faça uma comparação entre a solução que quer implementar e as que já existem e defina a sua diferenciação.
Lembre-se que por detrás de uma ideia de negócio está sempre a história de alguém.

1. Pesquise
Não há espaço para especulação na definição da persona. Defina-a da forma mais aproximada possível à realidade e, para tal, faça pesquisa – em fóruns de discussão, por observação, em sites da concorrência, etc – quanto ao segmento que quer alcançar.
Identificou claramente a quem quer chegar? E a quem não quer chegar? Se não o fez corre o risco de ser induzido em erro e perder tempo a tentar chegar a quem não interessa para o seu negócio. Imagine que recebeu uma proposta para divulgar a sua ideia de negócio numa página paga de uma revista associada à fiscalidade. Sendo o seu produto destinado a taxistas entre os 40 e os 55 anos será rentável investir nesta opção ou deve aplicar esse dinheiro numa publicação num jornal desportivo? Será fácil decidir se tiver já definido que o seu foco não são pessoas interessadas na área da fiscalidade.

2. Foque
Estabeleça um máximo de 4 personas e trabalhe sobre elas.

3. Atribua dados básicos
O nome, a idade, a profissão, o género e o estado civil são os atributos base que lhe permitem traçar o perfil dos seus potenciais clientes.

4. Distinga entre utilizador e comprador
Tenha em mente que o utilizador do seu produto ou serviço pode não ser quem o irá comprar. Por exemplo, se vende brinquedos sabe que a sua promoção deverá prender a atenção dos mais novos, contudo, estes não têm poder de decisão sendo meros influenciadores. Então, a promoção deverá focar questões como a segurança do brinquedo ou a relação preço-qualidade para atrair os reais compradores.

5. Quantifique
Avalie se este mercado-alvo tem a dimensão necessária para justificar o investimento que terá de fazer. Caso não tenha essa dimensão verifique se existe uma tendência de crescimento.

6. Identifique canais de comunicação
É importante ainda perceber através de que meios consegue chegar à sua persona. É alguém que gosta de ler jornais? Se sim, quais? Sabe então em que jornal deve divulgar o seu produto ou serviço? Divulgar o seu produ

Usamos cookies para melhorar a navegação dos nossos visitantes. Ao fechar esta mensagem aceita a nossa política de privacidade

fechar