Relatório Anual do Instituto Europeu de Patentes

+ 47% de pedidos de patentes de origem portuguesa.

Em 2018 registou-se um aumento de cerca de 47 pontos percentuais de pedidos de patentes de origem portuguesa.

De acordo com o Relatório Anual de 2018 do Instituto Europeu de Patentes (EPO, na sigla em inglês), o crescimento acentuado de pedidos de patentes registados por empresas e instituições portuguesas verifica-se após um declínio do número de pedidos em 2017, na ordem dos 4,5%.

Este aumento de pedidos de patentes foi considerado como um dos maiores entre os 38 estados membros do EPO.

Enquanto em 2017 as empresas, organizações de investigação e universidades portuguesas tinham apresentado 150 pedidos, em 2018 foi entregue um total de 220 pedidos de patentes.

De assinalar que o crescimento deve-se sobretudo ao aumento dos pedidos de patentes nas áreas de tecnologia dos transportes, química e produtos farmacêuticos.

No top 5 das instituições nacionais que apresentaram pedidos de patentes estão três instituições académicas ou de investigação. O Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência do Porto (INESC Porto) foi a instituição portuguesa que registou mais pedidos de patentes no EPO em 2018.

A região Norte foi a que apresentou mais pedidos de patentes no EPO, seguindo-se as regiões Centro e Lisboa.


ver PDF com dados estatísticos

Em ANEXO ficheiro com dados sobre Portugal (.ZIP)




13/03/2019

Fonte:https://inpi.justica.gov.pt/Noticias-do-INPI/2018-o-ano-em-que-os-pedidos-de-patentes-de-portugueses-aumentam-perto-de-47

Partilhar:

Usamos cookies para melhorar a navegação dos nossos visitantes. Ao fechar esta mensagem aceita a nossa política de privacidade

fechar