Salário médio mensal atinge o valor mais elevado desde 2011

Dados do INE

De acordo com o INE, o salário médio mensal atingiu o valor mais elevado desde pelo menos 2011, no entanto a maior parte dos trabalhadores recebe um salário inferior a este valor.

O rendimento mensal médio líquido dos trabalhadores por conta de outrem atingiu 911€ no segundo trimestre, o valor mais alto desde pelo menos 2011, mas a maioria recebe abaixo da média, revelam dados do INE divulgados hoje.

De acordo com os dados do emprego do Instituto Nacional de Estatística (INE), o rendimento mensal médio líquido dos trabalhadores por conta de outrem cresceu 2,7% no segundo trimestre em termos homólogos e 0,9% face ao trimestre anterior, para 911€.
Este é o valor mais alto desde pelo menos o primeiro trimestre de 2011, último período para o qual existe informação disponível, quando o rendimento médio líquido era de 816€.
Porém, dos 4,1 milhões de trabalhadores por conta de outrem existentes em Portugal no segundo trimestre, mais de metade (2,3 milhões) recebe, em média, um rendimento líquido mensal inferior a 900€.
Por escalão de rendimento, os dados mostram que 1,9 milhões de trabalhadores por conta de outrem têm um rendimento médio mensal líquido entre 600€ e 900€.
Há ainda 100,5 mil pessoas a receber menos de 310€ líquidos por mês e 307,8 mil cujo rendimento médio se situa entre 310€ e os 600€.
Por sua vez, menos de 70 mil trabalhadores recebem por mês mais de 2.500€ líquidos em média, dos quais 37,9 mil recebem três mil euros ou mais.
Em todas as regiões do país o rendimento mensal médio líquido aumentou no segundo trimestre, com o valor mais alto a verificar-se na Área Metropolitana de Lisboa, com 1.054€, seguido do Norte, com 865€.


O setor dos serviços foi o que registou em Portugal, no segundo trimestre, o rendimento médio mensal líquido mais elevado (939 euros), seguindo-se o setor da indústria, construção, energia e água (848 euros) e o da agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca (675 euros).

12/08/2019

Fonte:Jornal Eco

Partilhar:

Usamos cookies para melhorar a navegação dos nossos visitantes. Ao fechar esta mensagem aceita a nossa política de privacidade

fechar