O futuro do trabalho em Portugal

Estudo Nova SBE | CIP

O FUTURO DO TRABALHO EM PORTUGAL O IMPERATIVO DA REQUALIFICAÇÃO:
IMPACTO NO NORTE

SUMÁRIO EXECUTIVO
IMPACTO DA AUTOMAÇÃO

- 50% das horas de trabalho em Portugal são suscetíveis de ser substituídas por processos automatizados

Um cenário de adoção de automatização para metade das atividades até 2030 implica numa redução de 1,1 milhões de postos de trabalho, concentrados em ocupações na manufatura e comércio por grosso e a retalho.


- Para o mesmo cenário de automatização, na zona Norte, 421 mil postos de trabalhos serão perdidos. No entanto, 227 mil postos de trabalho também serão criados.

- Na zona Norte, a mudança líquida estimada de postos de trabalhos no setor de manufatura é negativa e ronda os 90.000 postos de trabalhos, onde aproximadamente metade das perdas estarão concentradas no setor de têxteis.


SUMÁRIO EXECUTIVO
IMPACTO DA REQUALIFICAÇÃO

- 700 mil trabalhadores terão de alterar as ocupações laborais em Portugal.

- 234 mil trabalhadores na zona Norte necessitarão de se requalificar.

- O retorno à requalificação em Portugal é elevado : retorno de 3 vezes sobre o custo para um trabalhador que esteja a trabalhar, e de 7.5 vezes para um que esteja desempregado.


Desafios importantes:

Governo
: Falta de centralização e coordenação de políticas públicas na área de requalificação;

Trabalhador
: Baixo nível de escolaridade;

Empregador
: Falta de incentivos financeiros para internalizar todos os benefícios do investimento em requalificação.



ESTUDO em anexo.


27/06/2019

Fonte:CIP

Partilhar:

Usamos cookies para melhorar a navegação dos nossos visitantes. Ao fechar esta mensagem aceita a nossa política de privacidade

fechar