Governo apadrinha com apoios 25 investimentos privados

Prometem 800 milhões em investimento e 2700 novos empregos

São projetos prioritários de investimento privado e têm a bênção do governo. Há de tudo e para todos os gostos; estão espalhados de norte a sul do país. Desde uma fábrica de comida vegetariana pré-feita, a um laboratório de “internet das coisas”.

Da lista de 25, o maior projeto em criação direta de empregos é o da Faurecia, em Bragança. Despachado em maio de 2016, o contrato de 41,5 milhões de euros em investimento visa “aumentar a capacidade de produção” fábrica de escapes automóveis. Para tal prevê “a criação, até 31 de dezembro de 2018, de 400 novos postos de trabalho diretos e permanentes, dos quais 35 são altamente qualificados”. A fábrica transmontana fornece marcas como Jaguar, Land Rover, Peugeot, Citroën e Renault.

Destaque para a primeira operação fora dos Estados Unidos da empresa Amy’s Kitchen que fabrica “produtos ready-to-eat [pronto a comer], congelados ou enlatados, vegetarianos, biológicos, naturais e geneticamente não transformados”.
A operação avaliada em 38 milhões de euros em investimento e capaz de criar 160 empregos diretos vai confecionar comida que exportará para o “espaço europeu”. O projeto ficou em Santa Maria da Feira e o contrato com os incentivos públicos foi assinado em julho.

Alguns investimentos aprovados:

—Tec Pellets
“Aumento da capacidade da fábrica” de secagem de biomassa, com vista a aumentar o aproveitamento de restos de madeira e biomassa florestal. Local: Póvoa de Varzim. Valor: 30,7 milhões de euros.

—Priority Dolphin (Douro Azul)

“Construção e aprestamento de dois barcos-hotel destinados a um conjunto de atividades” de “animação turística” e “serviços de hotelaria complementares” para a rede de cruzeiros fluviais explorada pela empresa. Local: rio Douro. Valor: 26 milhões de euros.

—Amy’s Kitchen

Fabrico de “produtos ready-to-eat, congelados ou enlatados, vegetarianos, biológicos, naturais e geneticamente não transformados” e depois exportados para a Europa. Local: Santa Maria da Feira. Valor: 37,7 milhões de euros.

—Faurecia

“Aumento da capacidade da unidade fabril para o fabrico de novos sistemas de escapes” para automóveis. Local: Bragança. Valor: 41,5 milhões de euros.

—Continental Mabor

Produção de “pneus agrícolas radiais” com “enfoque na eficiência energética, durabilidade e utilização de matérias-primas renováveis”. Local: Famalicão. Valor 49,9 milhões de euros.

—Altran

Desenvolvimento de software para a internet das coisas. Local: Fundão, Porto, Aveiro. Valor: 12,7 milhões de euros.

06/02/2017

Fonte:AICEP

Partilhar:

Usamos cookies para melhorar a navegação dos nossos visitantes. Ao fechar esta mensagem aceita a nossa política de privacidade

fechar